PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES COM DISTUBIOS DO APARELHO CIRCULATÓRIO ATENDIDOS NO SETOR DE URGÊNCIA DE UM HOSPITAL DE GRANDE PORTE NO INTERIOR DO CEARÁ NO ANO DE 2017 | Antunes | Revista Interdisciplinar Encontro das Ciências - RIEC | ISSN: 2595-0959 |

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES COM DISTUBIOS DO APARELHO CIRCULATÓRIO ATENDIDOS NO SETOR DE URGÊNCIA DE UM HOSPITAL DE GRANDE PORTE NO INTERIOR DO CEARÁ NO ANO DE 2017

Joana Raione Arrais Antunes, Maira Pereira Sampaio Macêdo, Antônia Lidiane Brilhante, Paula Suene Pereira dos Santos, Emanuelly Castro Alves, Tatiana de Menezes, Miguel Marx, Priscila Nadine Dias Santana

Resumo


As doenças cardiovasculares (DCV) são consideradas as principais causas de mortes no mundo. No ano de 2015 esta doença foi responsável por 30% das mortes a nível mundial. Cerca de ¾ desses óbitos ocorreram em países de média e baixa renda. O presente estudo teve como objetivo conhecer o perfil epidemiológico dos pacientes atendidos, no setor de urgência de um hospital de grande porte do interior do Ceará, com distúrbios do aparelho circulatório no ano de 2017. Estudo quantitativo, retrospectivo, com base nos dados secundários disponível no Sistema de Internações Hospitalares do SUS (SIH/SUS). Identificou-se que o acidente vascular não especificado hemorrágico ou isquêmico (30,95%) seguido pelo infarto cerebral (29,64%) apresentaram as maiores porcentagens de atendimentos das doenças do aparelho circulatório. Destacaram-se o sexo masculino (54,98%), idade de 70 a 79 anos (29%), a raça/cor (88,96%) estava sem informação seguida por (10,9%) da cor parda. O acidente vascular não especificado hemorrágico ou isquêmico destacou-se como maior causa de morbidade na população atendida com doenças no aparelho circulatório com predomínio na população idosa. As doenças do aparelho circulatório (DAC) constituem importante causa de morte nos países em desenvolvimento e nos desenvolvidos. O aumento significativo traz a necessidade de se discutir e se ter alerta aos profundos impactos para as classes menos favorecidas, sendo necessário que haja intervenções eficazes, de baixo custo e caráter preventivo.


Texto completo:

Antunes et al.

Referências


AGENCE FRANÇAISE DE SÉCURITÉ SANITAIRE DES PRODUITS DE SANTÉ. Prise en charge thérapeutique du patient dyslipidémique. Santé: Argumentaire, v. 11, n. 3, mai-jun.2005, p. 226-232.

ALMEIDA, S R M. Análise epidemiológica do Acidente Vascular Cerebral no Brasil. Rev Neurocienc 2012;20(4):481-482. Disponível: .

BOURBON, M.; MIRANDA, N.; MOURA VICENTE, A.; RATO, Q. Doença Cardiovascular. Instituto Nacional de Saúde – Doutor Ricardo Jorge, 2016. Disponível: .

BRASIL. Ministério da Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2011.

CRIMMINS E.M, HAYWARD M.D, HAGEDORN A, SAITO, Y, Brouard N. Change in disability-free life expectancy for Americans 70-years-old and older. Demography 2009; 46(3):627-646.

DAMATA, S.R.; FORMIGA, L.M.; ARAÚJO, A.K.; OLIVEIRA, E.A.; OLIVEIRA, A.K.; FORMIGA R.C. Perfil epidemiológico dos idosos acometidos por acidente vascular cerebral. R. Interd. 2016;9(1):107-17.

FALCAO, Ilka Veras et al . Acidente vascular cerebral precoce: implicações para adultos em idade produtiva atendidos pelo Sistema Único de Saúde. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., Recife, v. 4, n. 1, p. 95-101, Mar. 2004. Available from. Disponível: .

GUEETHA R, et al. Cardiovascular Consequences of Childhood Secondhand Tobacco Smoke Exposure: Prevailing Evidence, Burden, and Racial and Socioeconomic Disparities: A Scientific Statement From the American Heart Association. Circulation, Stockholm, v. 134, Sep.2016, p. 336-59

MALTA, D.C.; MOURA, L.; PRADO, R.R.; ESCALANTE, J.C.; SCHMIDT, M.I.; DUNCAN, B.B. Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011. Epidemiol Serv Saude. 2014;23(4):599-608. Disponível: .

MANSUR, A.P.; FAVARATO, D. Brasil Tendências da Taxa de Mortalidade por Doenças Cardiovasculares no Brasil, 1980-2012. Instituto do Coração (InCor) – HC FMUSP, São Paulo, SP. Disponível em: www.scielo.br. Acesso em 30/12/2020.

PRINCE, M.J.; WU, F.; GUO, Y.; GUTIERREZ ROBLEDO, L.M.; O'DONNELL, M.; SULLIVAN, R.; Yusuf S. The burden of disease in older people and implications for health policy and practice. Lancet 2015; 385(9967):549-562.

PORCELLO MARRONE, L.C.; DIOGO, L.P.; DE OLIVEIRA, F.M. et al. Risk factors among stroke subtypes in Brazil. J Stroke Cerebrovasc Dis. 2013; 22(1): 32-5.

POLANCZYK, C.A. Epidemiologia das Doenças Cardiovasculares no Brasil: A Verdade Escondida nos Números. Arq. Bras. Cardiol. vol.115 no.2 São Paulo Aug. 2020 Epub Aug 28, 2020. Disponível: . Acesso em 30/12/2020.

PONTES-NETO, O.M.; SILVA, G.S.; FEITOSA, M.R.; DE FIGUEIREDO, N.L.; FIOROT, J.A.; ROCHA, T.N. et al. Stroke awareness in Brazil. Stroke 2008;39:292-6. Disponível: .

ROLIM, C.L.R.C, MARTINS M. Qualidade do cuidado ao acidente vascular cerebral isquêmico no SUS. Cad. saúde pública [periódico na internet]. 2011.;27(11):2106-16. Disponível: .

ROSA, T. E. C.; BERSUSA, A.A.S.; MONDINI, L.; SALDIVA, S.R.D.M.; NASCIMENTO, P.R.; VENANCIO, S.I. Integralidade da atenção às doenças cardiovasculares e diabetes mellitus: o papel da regionalização do Sistema Único de Saúde no estado de São Paulo. Rev Bras Epidemiol 2009; 12(2): 158-71. Disponível em: . Acesso em: 14/08/2019.

SALAS C, et al. Ser físicamente activo modifica los efectos nocivos del sedentarismo sobre marcadores de obesidad y cardiometabólicos en adultos. Revista Médica do Chile, Santiago, v. 144, n. 11, Nov.2016, p. 1400-1409.

SESA. Boletim sepidemiológico doenças crônicas não transmissiveis. Governo so Estado do Ceará. Secretária de sáude do Estado do Ceará. Fortaleza, 25/11/20020. Disponível em https://www.saude.ce.gov.br. Acesso em 30/12/2020.

SMELTZER, S.C, BARE B.G. BRUNNER & SUDDARTH/ Tratado de Enfermagem médico-cirúrgica. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2012.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras de Cardiol, Rio de Janeiro, 2010, v.95, n.1.

SUNDARAM, M. et al. Quality of life, health status and clinical outcomes in Type 2 diabetes patients. Qual Life Res, Oxford, v. 16, n.2, Mar.2007, p.165-177.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. (WHO). The top 10 causes of death. [Internet] Geneva; 2014. Available from: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs310/em.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. (WHO). Health statistics and information systems - Projections of mortality and causes of death, 2015 and 2030. [Internet]. Geneva; 2013. Available from: http://www.who.int/healthinfo/global_burden_disease/projections/em

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Health topics: obesity. Geneva: World Health Organization, 2016. Disponível em: http://www.who.int/topics/obesity/en/. Acessado em: 09/01/2021.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Cardiovascular diseases (CVDs). Geneva: World Health Organization, 2017. Disponível em:http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs317/en/. Acessado em: 09/01/2021.




DOI: https://doi.org/10.1000/riec.v4i1.201

DOI (Antunes et al.): https://doi.org/10.1000/riec.v4i1.201.g157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Interdisciplinar Encontro das Ciências - RIEC | ISSN: 2595-0959 |

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Interdisciplinar Encontro das Ciências - RIEC | ISSN: 2595-0959 |

Centro Universitário Vale do Salgado

Rua Monsenhor Frota, 690

Bairro Centro | CEP: 63430-000 | Brasil, Icó-Ceará

Telefone: +55 88 3561-2760

E-mail: riec@univs.edu.br